FILO PLACOZOA

Trichoplax
         
Características gerais                                                

•Animais pequenos (1-2 mm) em forma de disco;
• Inicialmente descobertos emparedes de um aquário marinho, no final de 1800;
•Facilmente encontrados em oceanos tropicais e sub-tropicais nas áreas próximas das praias,    principalmente em manguezais;
•Os placozoários são morfologicamente indistinguíveis (geralmente). Eles demonstram grande diversidade ao nível do DNA, sugerindo que existem espécies crípticas;
•A única espécie nomeada do Filo é Trichoplax adhaerens.

• O corpo de Trichoplax aparenta ser um disco chato de células consistindo de duas camadas de epitélios, que envolvem uma camada de células fibrosas multinucleadas;
• Apenas quatro tipos celulares foram descritos;
• Células nervosas, sensoriais e musculares são ausentes (aparentemente).

Alimentação e Movimentação

• Para se alimentar o Trichoplax sobe sobre o alimento, usando a superfície
ventral como cavidade gástrica extraorganismal temporária;
• A digestão é extracelular e fagocítica;
• Se movimentam por cílios na superfície ventral e pela camada de células fibrosas;
• Os placozoários não
mostram evidência de eixos corporais além do dorsal X ventral, e periférico X interior;
• Não demonstram movimento direcional,mas as fototaxia negativa e positiva foram observadas

Reprodução

• Em meio de cultura, Trichoplax se reproduz por fissão, onde duas (e as vezes três) partes do
animal se movem para longe uma das outras até romperem as suas conexões;                                                                             
• A reprodução sexual não foi observada em culturas, mas a formação de oócitos em animais em degeneração é rotineiramente observada.


Filogenia


• Análises filogenéticas suportam a identificação de placozoários como uma linhagem de eumetazoários basais que divergiram antes da separação de cnidários e bilatérios, mas após a divergência de demospongiários (esponjas) dos outros animais;
• Boas evidências demonstram que os placozoários podem ser um grupo irmão de outros metazoários (cnidários e bilatérios), e não dedemospongiae, do qual divergiu antes do clado Trichoplax-Cnidaria-Bilateria;
• Não existe suporte para Trichoplax como um organismo basal ou derivado de cnidario ou bilatério, e esta hipótese foi rejeitada pelos testes estatísticos filogenéticos;
• Trichoplax contém um rico repertório de fatores de transcrição,
comumente associados à padronização e regionalização durante o
desenvolvimento de eumetazoários, incluindo alguns genes homeobox que
estão envolvidos na regulação do desenvolvimento embrionário, como a
definição do blastóporo na gastrulação dos eumetazoários.

• Fatores de transcrição que regulam a especificação dos tipos celulares e diferenciação, em bilatérios, também são abundantes em Trichoplax. (neurônios, células neurais e musculares, desenvolvimento neuroendócrino, células endodérmicas, cardíacas e sanguíneas).
• Evidências moleculares sugerem a existência de redundâncias massivas de funções; funções alternativas não diretamente análogas às encontradas em outros animais; ou celularmente crípticas; ou complexidade de desenvolvimento.
• Apesar de Trichoplax não possuir um sistema nervoso, respostas comportamentais à estímulos ambientais, e sensibilidade ao neuropeptídeo Rfamide, foram reportadas.
• No genoma de Trichoplax foram encontrados vários canais iônicos que são
implicados na sinalização neural em animais.

• Trichoplax tem junções celulares regulares entre as células epiteliais, mas não possuem uma membrana basal (lâmina basal) ou qualquer matrix extracelular descrita. Entretanto, em seu genoma estão contidos diversos genes que codificam proteínas a matrix extracelular.
• O genoma de Trichoplax também codifica proteínas de adesão da superfície celular, estas interagem entre si e com a matrix extracelular de bilatérios, também codificam proteínas de ligação do citoesqueleto que auxiliam na organização da actina do citoesqueleto e/ou traduzem sinais em outros eumetazoários.
• Trichoplax possui em seu genoma as mesmas ferramentas que cnidarios e bilaterios usam para formar as linhas germinativas reprodutivas (reprodução sexuada).

Resumo e pontos principais

• Placozoa é o primeiro filo de eumetazoa divergente, e forma um grupo irmão do clado Cnidaria-Bilateria.
• A forma achatada e a ausência de intestino ou câmara digestiva pode ser uma condição ancestral “primitiva”, com a cavidade digestiva dos cnidarios-bilatérios surgindo secundariamente pelo aparecimento do processo de desenvolvimento de uma cavidade corporal interna; ou pode ser a condição “derivada”, única de placozoários, resultado da perda de uma cavidade gástrica metazoária ancestral.

• Seu genoma codifica uma gama grande de fatores de transcrição e caminhos de sinalização
que são tipicamente associados com os padrões de desenvolvimento e especificação celular de eumetazoários, assim como regulam os comportamentos de crescimento, fissão e reprodução sexuada (enxameamento e reprodução).
• Foi sugerido que Trichoplax, um “fóssil vivo”, seja uma relíquia de um estágio inicial da evolução animal. Tichoplax retém muitas condições ancestrais do último ancestral comum com cnidários e bilatérios, que viveu no período Pré-Cambriano.

Profª Drª Tania Gonçalves dos Santos